Oftalmologia Mutton Sorocaba

Notícias

Alterações visuais relacionadas aos hormônios da gravidez

Durante  nove  meses,  período  da  gestação,  a  grávida  passa por mudanças emocionais, psicológicas e físicas.  Muito  mais  do  que  uma  barriga  que  não  para  de crescer ou enjoos, a gestação modifica praticamente todo o  organismo  da  mulher,  inclusive  os  olhos.  Isso  mesmo  que  você leu, os olhos!

É  comum  que  as  alterações  do  metabolismo,  do  perfil  hormonal  e  da  circulação  na  mulher  grávida,  afetem  o  funcionamento  da  visão,  ocasionando  distúrbios  temporários  ou  até  mesmo  permanentes.  Segundo  pesquisas,  essas  alterações  ocorrem  devido  ao  aumento  nos  níveis  de  progesterona  –  hormônio  fundamental  na  gravidez.
Especialistas  acreditam  que  essa  “progesterona  extra”,  necessária  para  ajudar  o  progresso  do  bebê,  afete  o  colágeno da córnea.

Entre os problemas visuais mais comuns nas gestantes, estão:

Síndrome do olho seco
Considerado  um  problema  temporário  e  que  tende  a  desaparecer  logo  após  o  nascimento  do  bebê,  o  olho  seco  ocorre em função alterações hormonais típicas da gravidez aliadas  às  condições  externas,  como  exposição  ao  ar  condicionado,  vento,  fumaça  e  poeira.  Coceira,  vermelhidão,  sensação  de  que  há  areia  ou  cisco  dentro  dos  olhos  são  alguns dos sintomas.

Sensibilidade à luz
De  acordo  com  pesquisas,  durante  a  gestação,  a  sensibilidade da córnea diminui, principalmente nos últimos três meses,  e  volta  ao  normal  pouco  tempo  depois  de  o  bebê  nascer. Em geral, esse é um dos sintomas da enxaqueca, que pode  ser  acentuada  no  período  da  gravidez  por  conta  das  variações hormonais.

Mudança no grau
As variações hormonais também podem acarretar mudanças refrativas. O aumento da espessura e da curvatura da córnea e  o  aumento  da  curvatura  do  cristalino  poderão  em  alguns  casos levar a um desvio refrativo, aumentando a graduação dos  óculos  ou  lentes  de  contato.  A  condição  geralmente  é  transitória e volta ao normal de sete a oito meses após o nascimento da criança. Entre os sintomas, estão: dores de cabeça e tontura.

Visão manchada e/ou pontos na imagem
Tanto a visão manchada como a percepção de pontos podem ser sinais de pressão alta durante a gravidez. O quadro  exige  acompanhamento  médico,  já  que  níveis  muito  elevados de pressão sanguínea podem provocar o descolamento da retina.

Desdobramentos da pré-eclâmpsia
Ocorrendo geralmente depois da 20ª semana de gestação, a pré-eclâmpsia trata-se de um estado de hipertensão. Os seus desdobramentos podem ser identificados através dos olhos em 5% a 8% das gestantes. Os principais sintomas são a perda temporária de visão, maior sensibilidade à luz, visão embaçada ou formação de halos ou flashes.

Desdobramento do diabetes gestacional
Durante a gravidez, há o aumento da produção de HPL (Hormônio Lactogênio Placentário) que inibe a produção de insulina,  aumentando  os  níveis  de  açúcar  no  sangue.  Altas  taxas associadas ao diabetes podem danificar os vasos sanguíneos que alimentam a retina, ocasionando na visão problemas relacionados à nitidez e ao foco. Entre eles: hemorragia vítrea (formação de vasos que comprometem o vítreo, provocando a  obstrução  súbita  da  visão),  glaucoma  neovascular  (formação  de  neovasos  na  íris,  aumentando  a  pressão  intraocular  que resulta na perda da visão) e retinopatia diabética  (crescimento de neovasos na retina que comprometem a saúde da membrana, com alto risco de cegueira). No Brasil cerca de 7% das gestantes desenvolvem a doença.

Caso a gestante apresente qualquer um desses sintomas oculares, o ideal é procurar um oftalmologista imediatamente. Em muitos dos casos, é necessário realizar a avaliação em conjunto com o obstetra.

Fonte: CBO