Oftalmologista Mutton Sorocaba

Notícias

Transplante de córneas

O programa brasileiro de transplantes de órgãos e tecidos é um dos maiores programas públicos do mundo. Entretanto ainda há muito o que fazer. Não adianta contar com um ótimo sistema e com equipes capacitadas, se
não houver doações, e para isso é preciso que a população conheça mais sobre o assunto.
Diferentemente do que acontece com outros órgãos e tecidos (como coração, rim, fígado, etc.), aproximadamente 90% das córneas doadas têm condições de serem transplantadas. Elas podem ser preservadas por até 15 dias após a
sua retirada.

Você sabe o que é córnea?
A córnea é um tecido transparente que fica na parte da frente do olho (de forma grosseira, podemos compará-la ao vidro de um relógio ou a uma lente de contato). Se a córnea se opacifica (embaça) por causa de doenças hereditárias, lesões, infecções, queimaduras por substâncias químicas ou outras causas, a pessoa pode ter a visão bastante reduzida ou, às vezes, até perdê-la. Em tais situações, a visão fica prejudicada e não é possível melhorá-la com uso de
óculos. Só a troca da córnea doente, por outra sadia e transparente, pode melhorar a visão. Para exemplificar um transplante de córnea podemos pensar em um relógio: se o vidro estiver embaçado, fica difícil enxergar o mostrador. Para podermos usá-lo, é necessário substituir o vidro por outro transparente. Da mesma forma, o transplante só está indicado quando o problema for na córnea.

O que é preciso para ser um doador?
Para ser um doador, não é necessário fazer nenhum documento por escrito. Basta que a família seja informada
e autorize a retirada das córneas, o que pode ocorrer até seis horas após a morte (coração parado).
Mesmo que a pessoa não tenha manifestado o desejo de doar, a família pode entrar em contato com o banco de olhos, pois é a única responsável pela efetivação da doação, já que a retirada dos tecidos oculares só pode ser feita com a autorização da família.
A doação não altera a aparência do doador, não atrasa o enterro e não acarreta nenhum gasto para a família
do doador. Os custos envolvidos no preparo da córnea são cobertos pelo banco de olhos.

Bancos de olhos ou bancos de tecidos oculares

Os bancos de olhos são responsáveis pela captação das córneas e, também, por sua conservação. Trata-se de uma entidade sem fins lucrativos que recebe doações, prepara e distribui córneas para transplante, ensino e pesquisa. São supervisionados pelas Centrais Estaduais de Transplantes, não escolhem os receptores, pois todos são incluídos em uma lista de espera seguindo ordem cronológica de inscrição.

O método de obtenção de córnea é chamado de “hospitalar ativo”. Técnicos treinados procuram as famílias dos pacientes hospitalizados, recém-falecidos,  e pedem pela doação. As campanhas e cartões de doação servem apenas de alerta para a existência do programa, mas na verdade apenas a família pode autorizar a retirada das córneas.
O processamento dos tecidos oculares, doados desde a retirada, precisa e deve ser executado pela equipe do banco de olhos, porque esta é a única maneira de garantir que os procedimentos serão feitos de maneira ética, com segurança, por profissionais capacitados, de acordo com as “Normas Médicas Internacionais” para este tipo de atividade e com a
legislação em vigor.

Somente os bancos de olhos estão preparados para realizar o necessário controle de qualidade dos tecidos
oculares doados, que serão distribuídos para transplante.
A distribuição é controlada pelos órgãos governamentais e é feita respeitando-se a ordem de inscrição do paciente na lista de espera. Não existe a possibilidade de que pacientes venham a “furar a fila” ou “serem favorecidos” por qualquer razão. Só em casos específicos, de comprovada emergência, previstos em lei, o paciente poderá ser transplantado de maneira imediata.

De acordo com a legislação e com o “Código de Ética dos Bancos de Olhos”, todas as informações sobre os
doadores e sobre os receptores de tecidos oculares doados são sigilosas, devendo os bancos de olhos ter
o compromisso de manter todos os registros em caráter confidencial.
Os tecidos oculares doados são utilizados para fins medicamentosos (de recuperação dos pacientes inscritos
em lista de espera). A córnea, a esclera (parte branca do olho) e as células-tronco da córnea podem ser utilizadas com finalidade terapêutica. Cada doador pode beneficiar vários pacientes, se, além das córneas, a esclera e as células-tronco forem utilizadas (o que é rotina nos bancos de olhos). Os tecidos que, por algum motivo, não puderem ser
utilizados em cirurgias, serão utilizados em pesquisas (aprovadas por Comissão de Ética) ou ensino.
Os transplantes permitem que pessoas com alguma deficiência visual, por problemas de córnea, recuperem
a visão.

A doação é um ato humanitário!

Fonte: CBO

× Atendimento via WhatsApp