Oftalmologia Mutton Sorocaba

Notícias

Problemas de refração

Quando os olhos não focalizam uma imagem com nitidez, embaçando a visão, o melhor é procurar um especialista! Você pode estar apresentando erros de refração.

O problema acontece quando o feixe de luz ambiente, que atravessa o globo ocular para formar a imagem na retina, sofre algum desvio provocado pela anatomia do olho, impedindo a perfeita revelação da imagem na retina. Os erros de refração são:

Miopia (ou visão de curta distância): acontece quando o globo ocular é muito comprido, ou a córnea é muito curva, e os raios de luz focalizam antes da retina. Neste caso, os objetos a distância perdem a nitidez.

Hipermetropia: quando os raios luminosos que vão em direção aos olhos se encontram num foco atrás da retina. Isso acontece quando o globo ocular é menor ou a córnea mais curva. Isso gera dificuldade para enxergar de perto, principalmente no caso de leitura de textos.

Astigmatismo: o feixe de luz incide em ângulos diferentes, porque neste caso o formato do globo é irregular e um pouco oval, gerando uma imagem borrada tanto de perto quanto de longe. É como enxergar através de um vidro ondulado.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 43% dos problemas visuais em países em desenvolvimento são causados por erros refrativos não corrigidos e 80% de todas as deficiências visuais podem ser evitadas ou curadas. Esses dados reforçam a intenção da revista Veja Bem em produzir informação, de forma clara e objetiva, como forma de preservar a visão da população brasileira.

Seguem esclarecimentos importantes para promoção da saúde ocular

Dor de cabeça pode ser sinal de miopia? Verdade.
Mas, normalmente, as dores de cabeça por causas oftalmológicas têm características próprias e se resolvem com a correção do erro de refração feita pelo uso de óculos, lentes de contato ou cirurgia.

Quem usa óculos não pode doar a córnea? Mito.
Miopia, Hipermetropia ou Astigmatismo não alteram a estrutura da córnea.

Usar óculos de outra pessoa faz mal? Verdade.
Os óculos são objetos pessoais, feitos sob medida. Usar os de outra pessoa pode causar dores de cabeça, tonturas, enjoo e fadiga ocular.

Usar óculos continuamente faz o grau aumentar ou diminuir? Mito.
Isso não interfere na evolução de erros de refração, como miopia e astigmatismo

Quem força a visão necessitará de óculos? Mito.
O esforço para ler é uma consequência dos erros de refração (miopia, hipermetropia e astigmatismo) e não uma causa. Esses distúrbios, na maioria dos casos, são genéticos e nada têm a ver com os hábitos do dia a dia.

A cirurgia de miopia elimina para sempre o uso de óculos? Mito.
A cirurgia de miopia garante a redução do grau de miopia, porém não é garantido “zerar” o grau. A avaliação deve ser feita em cada caso. As pessoas não são todas iguais!

O uso de lente de contato ou de óculos estabiliza o grau? Mito.
A correção do grau com óculos ou lentes de contato não estabiliza o grau, que pode alterar até os 25 anos, independente do uso de óculos. Os óculos ajudam a enxergar, mas não tratam o problema; não corrigem a lesão.

A cirurgia refrativa para corrigir o astigmatismo não tem nenhuma contraindicação. Mito.
A cirurgia refrativa não é indicada para portadores de astigmatismo que apresentem outras doenças oculares importantes como o ceratocone, glaucoma, etc. Cada caso precisa ser avaliado por um especialista.

O astigmatismo só é corrigido com óculos ou lentes de contato. Mito.
Atualmente, a doença pode ser corrigida com a cirurgia refrativa a laser ou até mesmo com o implante de lentes intraoculares.

O astigmatismo pode provocar dor de cabeça nos momentos em que se fazem esforços visuais. O uso de óculos ou lentes de contato evita que a dor de cabeça se manifeste. Verdade.
Porém, esta não é a causa das dores de cabeça que se apresentam de forma intensa e frequente. A pessoa com astigmatismo que usa óculos ou lentes de contato não se queixa deste sintoma quando somente relacionado à visão.

Consulte regularmente o seu oftalmologista. O Conselho Brasileiro de Oftalmologia atua com propostas concretas, junto ao Ministério da Saúde (MS), para incluir o atendimento oftalmológico já na atenção primária do SUS e com isso diminuir a desassistência oftalmológica pelo País